por Estúdio MUUH

Acabamentos: Ebanizado | Albanizado | Natural
Dimensões : C| 85 x A| 86 x P| 86 cm
Madeira : Tauari
Ref.: KB-1

Observação: Imagens Ilustrativas

PROCESSO

Conheça mais detalhes de nossos produtos e veja o que há por trás de
cada processo e material que constituem nossos produtos.

KABURÉ

Prezamos por utilizar madeiras certificadas e de qualidade. Além da beleza estética das matérias- primas nativas licenciadas, a densidade é um fator importante na escolha das espécies de madeiras que selecionamos. Esta característica física torna possível a elevação da qualidade dos acabamentos, melhora a precisão dos cortes e garante uma excelente durabilidade do móvel. Sabemos que ter uma matéria-prima de qualidade a disposição não basta para ter um bom produto finalizado, por isso buscamos trabalhar somente com marceneiros que dedicaram suas vidas a trabalhar com madeira. Profissionais de excelência que possuem um know-how capaz de transcender de forma substancial as limitações técnicas e tornar possível o desenvolvimento de cada um dos produtos desenvolvidos em madeira.

O assento e o encosto da poltrona recebem uma combinação de espumas especiais capazes de tornar a sua experiência de sentar
mais agradável. Além do uso de percintas elásticas italianas e combinações de durezas de espumas em função do uso, valorizamos e investimos na sensação tátil de nossas peças.
Com o objetivo de tornar o produto confortável antes de se sentar, utilizamos tipos especiais de espuma para o acabamento. A Hiper Soft é a espuma utilizada para conferir um toque agradável no encosto (imagem), além de preservar as linhas estéticas e proporção do produto por tempo indeterminado. No assento utilizamos a Ultracel, como última camada de espuma para conferir mais durabilidade, conforto e estabilidade ao sentar.

KABURÉ

INSPIRAÇÃO

Todos os nossos produtos possuem um universo criativo por trás de cada
peça. Aqui é possível ver um pouco do que inspira nossos designers a
desenhar nossos móveis.

KABURÉ

Os operários, Tarsila do Amaral, 1933.

“Mestiço!
E tenho no peito uma alma grande
uma alma feita de adição como 1 e 1 são 2.”
Canção do Mestiço, Francisco José Tenreiro.

A palavra Kaburé tem origem no dialeto Tupi e representa o indivíduo originário da união entre dois povos diferentes. A escolha do nome para a poltrona se justifica devido as composições associadas aos materiais selecionados, assim como sua aplicação, resultando em uma peça que se caracteriza pela multiplicidade das formas e acabamentos.

O tecido, flexível e tátil, se posiciona de maneira a preencher vazios ou ceder espaço as laterais em madeira maciça, gerando uma relação simbiótica, não somente entre as características físicas dos materiais, mas também sob os aspectos formais da poltrona. Quando imersos dentro do universo dos detalhes, o conceito Kaburé se aplica sistematicamente, sendo capaz de unificar elementos opostos, sob uma única forma, contribuindo para a continuidade das linhas e estruturando a personalidade geral do conjunto. Buscou-se estabelecer, portanto, dois níveis perceptivos, no primeiro temos como resultado do olhar generalista, um perfil vigoroso, porém em um segundo momento, quando observada de maneira particular, delineia suas diferenças e contrastes, expondo a essência de sua personalidade.

O aspecto material da peça justifica seu nome, porém trasborda em significado e dá luz a um conceito que traça um paralelo entre produto e pessoas. Somos filhos da dança pluricultural que marca seus passos através das gerações, semeando no solo nacional o encanto dos seus descendentes. O reconhecimento de um povo marcado pela diversidade, assim como é o Brasil, constitui um importante elo entre os aspectos formais da peça, que também são plurais, sendo capazes, portanto, de delinear um panorama geral cativante e personalidade marcante, tanto de um produto quanto das pessoas que o produz.