Instigar o cliente a entender o conceito do estabelecimento através de suas próprias sensações, propicia um ambiente convidativo e lucrativo. Fatores como cores, iluminação e circulação são essenciais no momento de atrair a atenção dos consumidores e aumentar o faturamento.

O projeto deve ser elaborado de forma a despertar o desejo do cliente pelo objeto de venda, seja ele em lojas, bares, restaurantes. É importante entender o funcionamento do espaço, o tempo de permanência, o público alvo e o tipo de mercadoria a ser comercializada, para então utilizar o máximo de fatores que proporcionem uma experiência sensorial diferenciada.

Apesar da singularidade de cada projeto podemos salientar alguns aspectos comuns a serem considerados.

Circulação e Layout: muitas vezes pensada somente como espaço de transição, na verdade a circulação é o espaço onde o consumidor também observa e analisa o produto, por esta razão o layout precisa ter as proporções, tamanho e formato ideal. Pensando no âmbito comercial, os expositores e o caixa precisam estar em um posicionamento chave, para que o espaço possua fluidez.

Cores: as cores, quando utilizadas de forma harmoniosa, são capazes de alterar visualmente a percepção espacial de um projeto. A escolha de determinada cor para uma loja, por exemplo, pode ser parte de um processo racional, atendendo a um propósito, não somente função decorativa. A definição do público alvo e faixa etária são um dos princípios a serem considerados.

 Iluminação: imagine um restaurante romântico, que parece realmente convidativo a um belo jantar a dois ou imagine aquele restaurante ideal para ir com a família. Esses ambientes “ideais” se devem a utilização adequada da iluminação, que tem o poder incrível de trazer bem estar, evidenciar produtos e conduzir o fluxo. Para aplicação adequada da iluminação são utilizadas diversas técnicas, com balizadores, iluminação difusa, de foco através de spots entre outros.

Cheiros e sons: nesse aspecto, a estratégia é utilizar cheiros e sons para estimular os consumidores. Os cheiros captados pelos receptores olfativos vão direto para o sistema nervoso central, e as memórias ligadas aos aromas tendem a ser intensas, vindo à tona com mais frequência do que as visuais. Ter um cheiro que lembre o seu espaço, faz com a marca se fixe na memória.

O som também é uma característica de potencialização de vendas que pode ser explorada. Soluções que tornem o ambiente confortável acusticamente e um sistema de som bem projetado podem estimular o consumidor a comprar mais.

Texturas: os revestimentos transmitem sensações pelo toque. Ambientes com mais requinte, por exemplo, costumam ter seus mobiliários revestidos como couro e veludo. Já para ambientes modernos e industriais, recorre-se aos acabamentos com metais e madeira.  

Atualmente temos opções variadas no mercado, como os revestimentos em 3D, metal e pedra. Sendo assim, entender o conceito da marca é fundamental, visto que o papel da textura é ressaltar a mensagem que se quer passar.

Pisos: além de complementar esteticamente o piso, deve-se garantir a segurança. Pisos polidos, por exemplo, podem ter maior risco de queda, já o vinílico tem um comportamento acústico melhor. Entre tantas opções, o mais utilizado no mercado é o cerâmico ou o porcelanato, pelo custo benefício e baixa manutenção. No entanto, cada caso deve ser considerado particularmente.

Se levarmos todos estes itens em consideração, certamente teremos um espaço bonito e com fluidez, o que reflete em clientes satisfeitos e que poderão “vender” o seu negócio indicando-o. Por esta razão, a contratação de um profissional de arquitetura e designe de interiores é de extrema importância.

Para o projeto da conveniência em Capanema – Paraná, podemos observar vários aspectos do que descrevemos acima, o intuito é atrair pessoas não somente para aquisição de produtos, mas para fazerem refeições, curtirem um happy hour no final da tarde. Por esta razão, o layout foi elaborado de forma a setorizar os espaços. Com isso, podemos ter um local para quem quer um tomar um chopp com os amigos ou mesmo, como foram projetados bancos estofados confortáveis e uma decoração que remete um ambiente acolhedor, um ambiente para atender aqueles que gostam de passear com a família, pessoas mais idosas e para refeições mais longas. Além disso, foi destinado um espaço para refeições rápidas e café junto ao balcão de atendimento.

As cores são sóbrias, com toques de preto e, como as mercadorias são coloridas, optamos por deixar o mobiliário e revestimentos em cores e material neutros. O uso de madeira e metal trazem um aspecto moderno e compõem o estilo do ambiente.

 A iluminação central e de circulação é feita por painéis de LED. Já os balcões de expositores de alimentos possuem iluminação indireta e de foco. Na adega optou-se por uma iluminação com tons de azul para dar sensação de um ambiente mais frio. Utilizou-se várias plantas, trazendo a sensação de bem estar, acolhimento e vida para o espaço.

As gôndolas foram milimetricamente pensadas para que a distribuição dos produtos fosse feita de maneira correta, de forma que o espaço de circulação seja suficiente para a contemplação e manuseio dos produtos.

 O caixa ficou posicionado entre as duas entradas do estabelecimento, com visão para todo ao ambiente, facilitando a circulação próximo às mercadorias consideradas de consumo impulsivo, ou seja, aquele doce que não estava na lista, mas quando vemos, desejamos comprá-lo.

O resultado foi um projeto harmonioso, que busca instigar o consumidor e atraí-lo para o consumo dos produtos ofertados. A iluminação é agradável e destaca as mercadorias e a decoração escolhida é sutil e marcante, pensada de forma a fixar a marca na memória dos clientes.

Studio Impar
Arquiteta Agda Oliveira e Engenheira Aline Assmann
Pato Branco/PR