1/2
casa com aberturas para o leste, com o sol da manhã. Projeto: Montanari Arquitetura (Arq. Ketlin Montanari)
casa com aberturas para o leste, com o sol da manhã. Projeto: Montanari Arquitetura (Arq. Ketlin Montanari)
outro lado da sala da mesma casa. Grandes aberturas para os fundos foram possíveis, graças à orientação solar ali, que quase não tem insolação direta (sul). Assim, tem-se iluminação natural sem que a casa se superaqueça com raios solares diretos.  Projeto: Montanari Arquitetura (Arq. Ketlin Montanari)
outro lado da sala da mesma casa. Grandes aberturas para os fundos foram possíveis, graças à orientação solar ali, que quase não tem insolação direta (sul). Assim, tem-se iluminação natural sem que a casa se superaqueça com raios solares diretos. Projeto: Montanari Arquitetura (Arq. Ketlin Montanari)

Parte II: Iluminação

Como vimos na edição anterior, um projeto de arquitetura influencia diretamente na saúde dos usuários e muito da responsabilidade disso está com os arquitetos.

Depois de termos entendido a importância da ventilação, esta matéria é para entender a iluminação natural (sua importância para a saúde, dinâmica e regras gerais) e poluição luminosa noturna (efeitos na saúde e no meio ambiente).

Iluminação natural

A luz natural está relacionada ao “controle de inúmeros processos bioquímicos do corpo” – essenciais para a saúde humana – e também tem influência nos ciclos circadianos das pessoas ¹. O aumento da exposição à luz natural no ambiente de trabalho, por exemplo, pode proporcionar efeitos benéficos à saúde a longo prazo ².

Por isso, é importante aprimorar, sempre que possível, a iluminação natural de casas, apartamentos, escritórios, clínicas, etc. (lembrando que luz natural não é o mesmo que insolação direta; esta última pode prejudicar o conforto térmico da edificação). Além disso, há a questão da economia de energia com iluminação artificial durante o dia.

Na NBR 15575 ³, a exigência mínima de iluminação natural é de 60 lux no meio do ambiente (residencial), nas áreas de permanência. Este valor é muito baixo, o mínimo para considerar que o ambiente não seja insalubre: atender a este mínimo, portanto, não significa que o projeto arquitetônico da edificação em questão possa ser considerado “bom” no aspecto da iluminação.

No projeto a seguir, a iluminação natural é aproveitada para trazer o máximo de conforto, com grandes aberturas posicionadas da melhor maneira levando em conta a trajetória do sol.

Vale lembrar que a entrada de raios solares diretamente no ambiente interno é desejável, desde que controlada e que não comprometa o conforto térmico interno (ex.: sol da manhã nos quartos). Em escritórios, especificamente nos ambientes com mesas de trabalho, o controle deve ser mais rígido por conta do uso da edificação, para não causar ofuscamento ou desconforto térmico.

O exemplo abaixo é de uma edificação de escritórios cujas aberturas recebiam todo o sol da tarde, o que superaquecia o ambiente. Notem como foi barrada a insolação direta, mas a luz natural continua iluminando o ambiente. Além disso, há menos contraste, o que é o ideal para um ambiente de trabalho.

Reforma de imóvel comercial
Projeto: Montanari Arquitetura (Arq. Ketlin Montanari)

Poluição luminosa noturna

É um assunto relevante, por ter influência nos ciclos circadianos de animais e também de humanos. A alta exposição à luz durante a noite aumenta o risco de obesidade, diabetes e doenças cardiovasculares em humanos, além de alterar o comportamento e ciclos de reprodução de diversas espécies de animais e insetos, afetando a biodiversidade. 4

O LEED, que é uma certificação de sustentabilidade para edificações da GBC, possui uma pontuação exclusiva para o projeto de iluminação externa da edificação e, basicamente, a regra é conforme a imagem a seguir:

Fonte: adaptado de https://www.neopress.in/wp-content/uploads/2016/06/lighting-examples.jpg

Referências:

  1. O GLOBO. O que é ritmo circadiano, tema dos vencedores do Nobel de Medicina: relógio biológico controla o sono e outras funções do organismo. Disponível em: https://oglobo.globo.com/sociedade/ciencia/o-que-ritmo-circadiano-tema-dos-vencedores-do-nobel-de-medicina-21897059. Acesso em: 13 jul. 2019.
  2. Marcondes Cavaleri, M. P., Cunha, G. R. M., & Gonçalves, J. C. S. (2018). Iluminação natural em edifícios de escritórios: avaliação dinâmica de desempenho para São Paulo. PARC Pesquisa Em Arquitetura E Construção, 9(1), 19-34. https://doi.org/10.20396/parc.v9i1.8650725
  3. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15575: edificações habitacionais. Rio de Janeiro, 2013.
  4. CHEPESIUK, R. Missing the dark: health effects of light pollution. Environmental Health Perspectives, v. 117, n. 1, p. 20-27, jan. 2009. Disponível em: https://ehp.niehs.nih.gov/doi/full/10.1289/ehp.117-a20. Acesso em: 13 jul. 2019.
  5. U. S. GREEN BUILDING COUNCIL. LEED v4 for building design and construction. Washington, 2017. 161 p.